LusaÓbidos

Providência cautelar requer reabertura da estação dos correios de Óbidos

Óbidos, Leiria, 29 jan (Lusa) – A Câmara de Óbidos interpôs uma providência cautelar em que requer a reabertura da estação dos correios no centro da vila, alegando a autarquia que não está a ser cumprido o serviço postal universal.

A providência cautelar entregue no Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria (TAFL) requer que “seja reaberta” a “única estação de correios” que existia no concelho de Óbidos (sita na Praça de Santa Maria, no centro da vila) e que foi encerrada pelos CTT no dia 28 de outubro de 2018.

No documento entregue no dia 21, e divulgado hoje pela câmara, a autarquia sustenta que “a prestação de serviços postais e do serviço postal universal no concelho de Óbidos” não está a ser cumprida.

A câmara alega que passou a existir apenas “um posto dos correios”, localizado no Bairro do Arcos, fora da vila muralhada, e que “não assegura” serviços anteriormente prestados na estação.

O encerramento da estação “obriga e obrigará a população do concelho”, sobretudo a residente no centro da vila “a deslocar-se para fora do concelho”, contesta a câmara na providência a que a Lusa teve acesso.

No documento, a câmara alerta ainda para o facto de na vila viverem “maioritariamente idosos”, ou seja, uma população “particularmente dependente dos serviços postais prestados nas estações de correios”.

Argumentando que o concelho ficou “desprovido”, a câmara requer na providência a reabertura da estação e que aquela assegure “a prestação do serviço universal”, sem o qual considera que os CTT incorrem numa “violação das bases da concessão do serviço postal universal” previstas na lei.

O encerramento de estações dos correios na região já tinha gerado a contestação da Comunidade Intermunicipal do Oeste (OesteCim), que no passado dia 18 tornou pública a preocupação “pelo constrangimento que a perda do serviço representa para as populações dos concelhos afetados”.

A posição foi expressa depois do encerramento da estação de Óbidos se ter juntado o anúncio da intenção de os CTT fecharem também a estação de Sobral de Monte Agraço.

José Alberto Quintino (CDU), presidente da Câmara de Sobral de Monte Agraço, admitiu igualmente à agência Lusa a intenção de avançar com uma providência cautelar para impedir o encerramento da estação.

 

DYA (FYC) // MLS

Lusa/Fim

Author: Boss

Autoria: Lusa / Notícias
Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close