AlenquerDesportoLusa

Câmara de Alenquer salva Carregado de despejo ao adquirir terreno do complexo desportivo

Alenquer, Lisboa, 16 abr (Lusa) – A Câmara de Alenquer aprovou hoje um empréstimo de um milhão de euros para adquirir o terreno onde está instalado o complexo desportivo do Carregado e que o tribunal tinha obrigado a associação a devolver ao proprietário.

A proposta foi aprovada por unanimidade e carece ainda de autorização da Assembleia Municipal e do Tribunal de Contas.


“Esta solução resolve a curto prazo [o problema] da Associação Desportiva do Carregado (ADC) e, a longo prazo, pretendemos criar ali um parque verde para aliviar a pressão urbanística”, depois da construção de um novo complexo desportivo para o Carregado, afirmou o presidente da autarquia, Pedro Folgado, na reunião pública da câmara.


Os vereadores da oposição mostraram-se a favor da solução, por estar em causa a atividade desportiva para 800 jovens das camadas de formação do clube, cuja equipa sénior milita no campeonato Pro Nacional, da Associação de Futebol de Lisboa.


Contudo, alertaram que o custo da aquisição poderia ter sido evitado, se a câmara não tivesse alterado a classificação do terreno para urbano no Plano Diretor Municipal, criando especulação imobiliária, ou se em 2009 tivesse aceitado comprar o terreno.


“Se não fosse a câmara a adquirir o espaço, a ADC teria de sair do espaço por ordem do tribunal e, não havendo alternativa, era uma perda para o concelho”, sublinhou Pedro Folgado.


A aquisição vai ser feita mediante o pagamento em quatro prestações de 125 mil euros e as restantes de 25 mil euros cada, durante dois anos, de acordo com a proposta, a que a agência Lusa teve acesso.


O complexo da ADC está instalado desde 1955 num terreno que o clube diz sido doado pelo proprietário, já falecido, sem que tenha sido feita escritura dessa mudança.


Em 2000, os vários herdeiros avançaram para tribunal reclamando o terreno, alegando que este teria sido emprestado e não doado, o que foi contestado pelas várias direções do clube.


O longo processo judicial transitou em julgado em meados de 2017, depois de ser conhecida a decisão do Supremo Tribunal de Justiça, que impôs o prazo de junho de 2017 para a ADC abandonar as instalações e entregar o terreno aos proprietários.


Desde essa altura, ADC e câmara têm vindo a negociar com a família, chegando agora a acordo para a ADC aí manter a sua atividade desportiva, até ter o novo complexo desportivo, a integrar no futuro parque urbano da vila do Carregado.


No atual complexo desportivo, a ADC possui três campos de futebol, balneários e uma bancada, com capacidade para mil espetadores.


 


FYC // MLS


Lusa/Fim

Author: JornalOeste

Autoria: Lusa / Notícias
Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close