BombarralCulturaEconomiaLusa

Companhia do Sanguinhal aumenta vendas em 20% com internacionalização dos seus vinhos

Bombarral, Leiria, 29 ago (Lusa)- A Companhia Agrícola do Sanguinhal, empresa do Bombarral fundada em 1926, está a apostar na exportação dos seus vinhos, o que está a impulsionar em 20% as vendas, pelo segundo ano consecutivo, disse hoje o seu diretor-geral.

“Este aumento deve-se ao aumento das exportações e também do mercado nacional, uma vez que a empresa começou a vender para todo o país, graças sobretudo à entrada dos seus vinhos na grande distribuição”, explicou à agência Lusa Diogo Reis.


Dos dois milhões de euros do volume anual de negócios, 30% são agora oriundos dos mercados externos, mas a meta é “atingir os 50% até 2020”, apontou.


Atualmente os principais mercados são os EUA (16%), Alemanha (10%), China (5%), Brasil (4%) e Canadá (3%), países onde tem vindo a apostar em ações promocionais. Entre os países emergentes estão a Austrália, Estónia, China, Japão e Coreia do Sul.


Depois de um aumento de 20% nas vendas registado em 2016, o diretor-geral antecipa “um aumento igual no final deste ano”, acrescentou.


A aposta na internacionalização permitiu duplicar as exportações de 15% para 30% desde 2015, ano em que a empresa iniciou um processo de reestruturação.


Além da aposta na internacionalização, a empresa quer também investir na reestruturação das suas vinhas e da sua adega e abriu também uma loja ‘online’, cujas vendas para o consumidor final representam 0,5% do volume de negócios.


A empresa produz e comercializa mais de 40 marcas de vinhos, entre eles a Quinta de São Francisco, Quinta das Cerejeiras, Quinta do Sanguinhal e Sottal.


Nos Estados Unidos da América, os seus vinhos estão entre os 50 melhores vinhos portugueses, classificação da ViniPortugal, e obtiveram a medalha de ouro no concurso San Francisco International Wine Competition.


Na Ásia, foram premiados com medalha de ouro no concurso China Wine and Spirits Awards.


A Companhia Agrícola do Sanguinhal possui mais de 100 hectares de vinha e emprega 30 trabalhadores todo o ano.


Apesar de a empresa familiar ter sido fundada em 1926, as suas quintas pertencem à família desde 1905, mas o negócio da vinha e do vinho remonta a meados do século XIX.


 


FYC // JNM


Lusa/Fim

Author: Boss

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close
Close